Apoio aos estudantes (jovens) na integração e inclusão de questões de género na escolha de profissões ou cursos a seguir

Instituição: Faculdade de Engenharia Agronómia e Florestal 
Líder do projecto: Yolanda Ganhane

Tópico

Na actualidade é notório aumento do número de raparigas a frequentar o ensino superior em quase todas as instituições de ensino a nível do pais, contudo para os cursos de ciências e engenharia é possível notar que ainda persiste uma certa estigmatização ou estereótipos sobre quem está capacitado a frequentar e terminar o curso com sucesso. De acordo com os dados do Ministério da Ciência e Tecnologia, Ensino Superior e Técnico Profissional, de um total acumulado de 370,217 estudantes do sexo feminino que frequentaram cumulativamente o ensino superior de 2013 a 2017, somente 8% optou por cursos de Ciências e Engenharias, sendo os cursos de eleição os de Ciências Sociais e Educação, com 54% e 24%, respectivamente. O distrito de Mocuba possui uma faculdade de engenharias, e nos seus cursos ainda nota um desequilíbrio do género nos estudantes que estão a frequentar os cursos, sendo que maior parte das turmas de engenharias são compostas por maior número de rapazes comparativamente as raparigas.

O presente projecto tem como objectivo reduzir os estereótipos sobre a influência do género na escolha ou definição de profissão/ou curso a seguir.

Nesta perspectiva, pretende se com este projecto, através de palestras, práticas de produção e workshops, na escola pré-universitária de Mocuba, divulgar as políticas de género no seio dos alunos da 10 e 12 classes e incentivar as raparigas a seguir pelas ciências exactas ainda no ensino secundário, e com isso a optar pelos cursos de engenharias nas suas futuras escolhas profissionais, o que automaticamente poderá melhorar para o equilíbrio do género dentro das instituições de ensino superior e institutos de engenharias.