Projecto Mestre de Obras

Instituição: Faculdade de Engenharia Ambiental e dos Recursos Naturais
Líder do projecto: Fernando Aníbal Chichango (Coordenador de Pesquisa e Extensão FEARN)

Descrição

Algumas prioridades definidas no plano quinquenal do Governo de Moçambique (2015 -2019) são o desenvolvimento do capital humano e social, a promoção do emprego, da produtividade e da competitividade. As instituições vocacionadas para o ensino e aprendizagem tem um papel importante no cumprimento desta acção visto que, a base do desenvolvimento do capital humana é a educação e formação de jovens. A Universidade Zambeze através da Faculdade de Engenharia Ambiental e dos Recursos Naturais, pretende contribuir nos esforços nacionais de melhorar o nível de vida das populações, respondendo aos problemas relacionados com a equidade e igualdade de género, bem como do empoderamento da mulher e sua participação activa no processo de desenvolvimento do País. Para tal, a FEARN desenhou um programa de cursos vocacionais de curta duração com foco nas necessidades actuais da província de Manica e do País no geral. A província de Manica interliga as zonas sul e norte do país, por essa localização geográfica assiste – se um fluxo intenso de circulação de bens e pessoas para países circunvizinhas de interland. A escassez de oportunidades de emprego agoniza a população de Manica que na sua maioria vive da agricultura de subsistência, obrigando êxodo rural e concentração intensa na cidade de Chimoio. Nos distritos da província ainda emanam doutrinas culturais que tiranizam a pessoa do género feminino. Estas premissas e, estudos feitos sobre género na região, mostraram a vulnerabilidade das mulheres a situações como contração de HIV/SIDA, casamentos prematuros, elevação do número de desistências nas escolas, falta de autoestima, etc. Foi nesse contexto que elaborou- se o projecto de Mestres de Obras dentro programa de cursos de curta duração para responder uma das prioridades do plano quinquenal do governo (2015 – 2019). O curso de Mestres de Obras de construção civil, tem um alicerce nos programas temáticos ministrados no curso de Engenharia de Construções Rurais e de Ordenamento do Território da FEARN.

 

Actividades do curso de Mestre de Obras.

O curso foi desenhado para 3 meses, regime presencial, forma intensiva (8 horas/dia). Este curso de formação produção prioriza a componente prática e do saber fazer. Pretende – se com o curso formar 30 mulheres jovens (18 a 25 anos). A saída profissional é de mestres de obras de construções rurais. O curso contempla nos planos temáticos a visão de sustentabilidade ambiental. Os temas nucleares são: Sistemas de captação de água e gestão de recursos hídricos, materiais e construções resilientes às intempéries, desafio da rapariga no ambiente de trabalho de construção civil. Pretende – se ainda, que os formados sejam empreendedores e no final do curso possam ser capazes de criar as proporias empresas, melhorarem o rendimento das suas famílias e contribuírem assim na redução do índice de desemprego e no desenvolvimento do país. Para tal, receberão acredito um start-up Kit completo de um Mestre de Obras.

Actualização 11 de Outubro 2019

Actualmente conseguiram terminar o programa do primeiro módulo cerca de 12 raparigas e 3 rapazes totalizando 15 formandos. Este grupo tem sido persistente e motivado para a conclusão do curso.

 

Participantes do curso de Mestre de Obras.

Nas disciplinas práticas está sendo focalizado:

  • Produção de blocos (foram construídos 100 blocos de alvenaria);
  • Informática na óptica de utilizador (pacotes Microsoft Word e Microsoft Excel);
  • Traçado (mistura de cimento e areia) para a produção de argamassa e concreto para diferentes aplicações;
  • Introdução ao empreendedorismo fase 1 (produção e venda de blocos);
  • Limpeza de espaço para a construção de uma sala multiuso com garrafas Pet e de Vidro; e
  • Palestras sobre género na construção civil.

Actualização 27 de Novembro de 2019

Transcorridos dois meses de formação, foram leccionadas 75% das disciplinas programadas. As disciplinas em curso poderão ser concluídas dentro do tempo programado.

 


O trabalho prático: construção de blocos, assentamento e avaliação da malha de ferro.

Foi reduzido o período de permanência na Faculdade para manhãs devido à falta de alimentação dos Formandos. Assim, a hora de entrada é de 8 horas, duas horas de teoria e o restante de práticas até as 13 horas.

Como actividades práticas foram fabricados 450 blocos de alvenaria. Cada formando produziu 35 blocos manualmente, o que corresponde a um saco de cimento. Estes blocos foram produzidos no âmbito da disciplina de Empreendedorismo no quando da análise de custos e benefícios de fabrico de blocos.

Actualmente, a disciplina de assentamento de blocos está em curso com o objectivo de construção de uma sala multifuncional sustentável com diferentes tecnologias de reutilização das garrafas Pet.

No dia 4 de Novembro de 2019 o Magnífico reitor da Uni Zambeze, o Prof. Dr Nobre Roque dos Santos visitou o projecto e elogiou os formandos pelo empenho e dedicação na formação.

 


Visita do Magnifico Reitor.

No que concerne a organização, está em curso:

  1. Em curso o pedido de estágio pré-profissionais para os formandos;
  2. Em curso os convites para o enceramento do primeiro ciclo do projecto;
  3. A elaboração de uma base de dados dos mentores do projecto para o ciclo II;
  4. Elaboração dos contractos com formandos para Kits de empreendedorismo.

 

Actualização 26 de Maio de 2020

No âmbito do Programa de Cursos Profissionalizantes, a Faculdade de Engenharia e dos Recursos Naturais – FEARN graduou em Março ultimo, 13 jovens dos quais 9 raparigas e 4 rapazes formados do curso de Mestre-de-obras em Construções Rurais e Gestão de Recursos Hídricos financiado pela Agencia do Vale de Zambeze através do Programa ZAMADZI (NICHE MOZ-266). O curso com duração de 3 meses efectivos iniciou no dia 9 de Setembro de 2019 e terminou em Fevereiro de 2020, a graduação decorreu no dia 9 Março de 2020 no campus da FEARN. A Cerimonia da entrega de certificados e Kits Startup foi honrada pela presença do Excelentíssimo Senhor Administrador da Cidade de Chimoio – Daniel Andicene. Antes da eclosão da Pandemia de COVID 19 em Moçambique, cerca 6 formados reportaram que já estavam exercendo a actividade de construção civil nas comunidades graças a formação.

Depois do sucesso do primeiro ciclo que foi reportado na imprensa pelos jornais, televisão e redes sociais. Seguiu-se de seguida o Ciclo II com cerca de 14 formandos inscritos. Porém, com as medidas de restrição em curso no país, as aulas presenciais foram suspensas. Contudo, estão sendo ministrados módulos teóricos online (grupo de Whatsapp). Dois módulos teóricos já foram leccionados: Informática e Empreendedorismo. Espera-se  que o projecto possa avançar assim que cessem as restrições devido a pandemia COVID-19.