Promoção do equilíbrio de género nos cursos de Engenharia

Instituição: Faculdade de Ciências Agrárias
Líder do projecto: Iolanda Tachiua

Tópico

A Faculdade de Ciências Agrárias, vem se recentindo da necessidade de um equilíbrio de género no que concerne aos ingressos, por isso, vem elaborando estratégias com vista a ultrapassar este desáfio. É notório que ao longo dos anos, o percentual de ingresso de raparigas na FCA tem sido relactivamente baixo, se comparado ao número de ingresso de rapazes, como ilustra na figura abaixo. Assim, há cada vez mais necessidade de envidar-se esforços no sentido de continuar a incentivar as mesmas a ingressarem e manterem-se na Faculdade. O presente projecto visa sensibilizar 150 raparigas e rapazes das Escolas e comunidades circunvizinhas do Distrito de Angónia a ingressarem ao ensino superior, mais especificamente em cursos de Engenharias oferecidos pela FCA, ao invés de optarem por casamentos prematuros, desistências e abandono das escolas. Ao final do projecto espera-se: aumentar o ingresso de raparigas desta região, em pelo menos 50%  para os cursos oferecidos pela FCA; 150 alunos e alunas das escolas e comunidades circunvizinhas do Distrito de Angonia com nocções básicas de género; divulgar a Estratégia Nacional de Prevenção e Combate dos Casamentos Prematuros em Moçambique; reduzir o estereótipo existente nas escolas e comunidades do distrito de Angónia; capacitar pelo menos 24 activistas (professores) em matéria de género e desafios da rapariga nos cursos de Engenharia.

Gráfico relactivo a ingressos de rapazes e raparigas nos cursos de Engenharia Alimentar (esquerda) e Engenharia Agropecuaria (direita) no período 2015-2020 (Fonte: RA-FCA)